A ASCENSÃO E A QUEDA DO BLACKBERRY

CERTAMENTE UM BLACKBERRY FOI O SEU PRIMEIRO SMARTPHONE. MAS QUAL SERÁ O MOTIVO DE NUNCA MAIS TER TIDO UM?


“Qual o seu PIN?” Essa frase foi bastante popular no final dos anos 2000 e início da década de 10 entre os usuários do smartphone BlackBerry. O PIN era o código de identificação de cada aparelho, permitindo acesso ao serviço de mensagens instantâneas, o BlackBerry Messenger (BBM como era conhecido).


Mas muito mais que o BBM, o BlackBerry foi pioneiro em muitas funções dos smartphones modernos. Em especial, o smartphone possuía muitas ferramentas ligadas ao mundo corporativo, como por exemplo uma excelente interface para usar o e-mail.


Desenvolvido pela empresa canadense Research In Motion – RIM, como era conhecida, a primeira versão do BlackBerry foi o modelo 957, lançado em abril de 2000. O celular foi direcionado para empresas e governos, colocando ênfase na impessoalidade do aparelho.


Blackberry 957 Wireless Handheld | Fonte: Reprodução

Outro ponto importante foi o investimento que a empresa fazia em questões de sigilo e segurança, que eram muito importantes para seu público. O fato da RIM desenvolver o software e o hardware dos aparelhos com certeza ajudava também.


O sucesso foi imediato, colocando o BlackBerry no topo das vendas de celulares, especialmente no nicho alvo da empresa. Contribuiu bastante o fato da RIM ser bem conhecida no mercado corporativo por causa de seus pagers, que já eram um sucesso na década de 90.


Aos poucos a RIM foi incluindo também ferramentas mais pessoais em seus smartphones, como câmeras; além de introduzir o BBM. Com isso o BlackBerry acabou atraindo outros tipos de consumidores mais jovens, se tornando até uma “modinha”.


Assim, durante toda a década de 2000 o BlackBerry teve um crescimento exponencial nas vendas, tanto para empresas, quanto para consumidores físicos. O smartphone conseguiu desenvolver uma base de usuários fiéis, daqueles que se empenham na propaganda boca a boca do produto.


Apesar de todo o sucesso, o auge do BlackBerry ainda estaria para chegar. Isso, mesmo com o lançamento do iPhone em 2007, que em um primeiro momento não afetou as vendas da RIM, especialmente no mercado internacional.


Para se ter ideia, em 2007 o BlackBerry possuía 8 milhões de usuários ativos, enquanto que em 2013 esse número chegou a 79 milhões. Outro dado interessante: a RIM vendeu cerca de 3 bilhões de dólares em BlackBerry's no ano de 2007, saltando para 11 bilhões de dólares em 2009, quando detinha 20% do mercado de smartphones.


Desse modo, o BlackBerry viveu seu grande auge na virada das décadas de 00 e 10. Depois disso, a RIM e o BlackBerry entraram em forte período de declínio com as vendas implodindo, fazendo com que no ano de 2014 o prejuízo fosse na casa dos 8 bilhões de dólares.


Os grandes culpados pelo declínio do BlackBerry claramente foram o iPhone e os smartphones que utilizam o sistema Android. Os executivos, principais usuários dos BlackBerry's, substituíram o aparelho pelos novos iPhones.


Possivelmente, o que consagrou e também matou o BlackBerry foram suas peculiaridades, em especial o teclado físico. É provável que em 2007 muitos consumidores não estivessem preparados para usar um teclado virtual em seus smartphones, mas em 2015 ninguém queria um teclado físico.


Nesse mesmo sentido, a lentidão com que a RIM incorporou a tela touchscreen em todos os BlackBerry's também deve ter contribuído bastante para a queda nas vendas. Hoje em dia é impensável ter um celular sem touchscreen.


Por fim, cabe citar o fim da dominância do BlackBerry no segmento corporativo. Com o desenvolvimento dos smartphones rivais, em especial o iPhone, o celular da RIM não se tinha nenhuma ferramenta de destaque.


Ou seja, sem teclado virtual ou touchscreen, e sem nenhuma funcionalidade especial, porque ter um BlackBerry? Se contarmos também que o efeito “modinha” sumiu, a queda era certeira.


Nos últimos anos a RIM tem tentado se reinventar, tirando a ênfase nos smartphones. Para começar, a empresa até mudou seu nome para BlackBerry Limited e trocou seu CEO.


Nos anos seguintes, a agora BlackBerry Limited, reinventou seu modelo de negócios, passando a focar em software, deixando de trabalhar com hardware. Mais do que software, a empresa busca reconhecimento na área de cyber segurança, remontando ao seu período inicial.


Assim, a BlackBerry Limited se estabeleceu nesse mercado de software de segurança, fazendo uma série de aquisições de empresas nesse ramo. Além disso, também começaram a fornecer consultoria empresarial sobre segurança digital.



Desde então, a estratégia conseguiu limitar as enormes perdas de caixa que a empresa vinha sofrendo, porém falhou em levar a companhia para um novo patamar. Pode se dizer que BlackBerry Limited se encontra estagnada no momento.


Dificilmente veremos o BlackBerry ter uma volta triunfal. Até mesmo porque sua própria fabricante não acredita muito nessa possibilidade. De qualquer jeito, seu pioneirismo não será esquecido. O BlackBerry criou o mercado dos smartphones.