AFINAL, O QUE É UM ETF?

OS ETFS TÊM SE POPULARIZADO ENTRE OS PEQUENOS INVESTIDORES BRASILEIROS, ESPECIALMENTE POR SUA PRATICIDADE E POSSIBILIDADE DE SER RENDA PASSIVA.


Os Exchange Traded Funds (ETF), ou fundos de índice, são fundos de investimento que replicam algum índice do mercado de capitais, como por exemplo o Ibovespa (maiores empresas na listadas na Bolsa de Valores de São Paulo) ou o S&P (maiores empresas listadas na Bolsa de valores de Nova York). Desse modo, o investimento neste tipo de ativo terá seu rendimento atrelado ao índice escolhido.


Os ETFs são negociados na bolsa como se fossem ações, e possuem uma liquidez bastante alta, ou seja, podem ser comprados ou vendidos com muita facilidade.


Ideal para a pessoa física

A grande vantagem dos ETFs para o investidor pessoa física é que não é necessário um grande conhecimento de finanças ou do mercado, já que os ganhos se baseiam na média de várias grandes empresas. Nesse caso, ao invés de procurar acertar quais serão as grandes ações do ciclo atual, o que demandaria tempo e conhecimento, o investidor, sem fazer nenhuma análise mais aprofundada, ganha na média.


Os custos também são outro grande fator de atratividade, já que são baixos e permitem o investidor aplicar em muitas empresas sem ter que desembolsar um grande capital. Se comparado então com os custos de um fundo de investimento normal, os ETFs são sensivelmente mais baratos.


Apesar de parecer pouco ter um ganho atrelado a um índice, são poucos gestores e investidores que conseguem “bater” os índices frequentemente. Considerando que a gestão será totalmente passiva, é difícil encontrar um investimento melhor para o pequeno investidor que não possui um conhecimento mais avançado sobre investimentos.


Na prática, a única pergunta que o investidor deve fazer ao comprar um ETF é: “a tendência no mercado é de alta?”. Se a resposta for sim, o investimento vale a pena.


Atualmente, os principais ETFs para a Bolsa Brasileira como um todo são o BOVV11 e o IBOV11. Os dois replicam o IBOVESPA, que possui as 50 maiores empresas listadas no Brasil.


Além disso, há alguns outros ETFs, que seguem setores econômicos específicos. Há indíces que seguem empresas da construção civil, saneamento, bancos, etc. Um exemplo é o IEEX11, que segue empresas do setor elétrico.


DIversificação

Outro aspecto relevante dos ETFs é sua utilização para diversificação de portfólios. Uma vez que o índice segue diversas empresas, os riscos acabam sendo diluídos. No fim do dia, há riscos maiores da Embraer quebrar do que o Brasil quebrar.


Uma estratégia que tem sido utilizada por investidores é a utilização de ETFs para ganhos de diversificação global, permitindo que parte da carteira seja alocada em países diversos.


A ideia é simples: gostaria de investir em um país, mas não tenho conhecimentos sobre o seu mercado, ou sobre suas empresas. É neste momento que o ETF se torna atraente.


No Brasil ainda há pouquíssimos ETFs, especialmente se compararmos com o mercado americano. Entretanto, se continuarmos nessa trajetória de aumento do número de pessoas físicas na bolsa brasileira, com certeza novos ETFs virão.

19 visualizações