COMO FUNCIONA O TETO SALARIAL NA NBA?

A FOLHA SALARIAL DOS TIME DE BASQUETE DA NBA É UM TANTO QUANTO COMPLEXA. VEJA ABAIXO TODOS OS QUESITOS QUE COMPÕEM O SALÁRIOS DOS ATLETAS.


De maneira simples e básica, como funcionam as regras do teto salarial para as franquias da NBA?


Compreendendo a mecânica, fica mais fácil de analisar a situação de cada equipe na liga e especular quais serão seus próximos passos.


O teto salarial foi introduzido na temporada 1984/85 e tem como objetivo equilibrar ou reduzir uma possível disparidade entre as franquias da liga para torná-la mais disputada e atrair cada vez mais o interesse do público, ou seja, para as franquias localizadas em cidades menores, como Detroit e Charlotte conseguirem competir por jogadores badalados.


O valor do teto e de suas regras (multas, por exemplo) são negociados, anualmente, entre a liga (o comissário e os “donos” das franquias) e a CBA (Collective Bargaining Agreement) que é a associação representante dos jogadores.


Na temporada 2018/19 o teto foi definido em 101,9 milhões de dólares para cada equipe, mas mesmo assim se observamos o quanto os Warriors gastaram de salário na mesma temporada (mais de 140 milhões de dólares), percebemos que o valor excede o estipulado.


Isso só é possível pois a NBA é uma liga que estabelece um teto bem flexível se compararmos com as outras ligas americanas que também seguem o modelo de salary cap (NHL e NFL, por exemplo). Por isso, existem muitas regras para diversas situações contratuais e salariais:


Mid-level exception (MLE)


Uma das regras que possibilita o gasto além do teto é a Mid-level exception (MLE), ela pode ser usada uma vez por temporada e permite o time contratar um jogador por um salário específico (que é definido do mesmo modo que o teto salarial e pode variar se o time estiver na luxury tax que será explicada adiante).


Os Blazers utilizaram esse recurso para assinar com Rodney Hood para a temporada 2019/20, seu contrato tem uma duração de dois anos com o valor de 11,7 milhões de dólares (do total, ele receberá 5,7 no primeiro ano que é o valor da MLE para a respectiva temporada).


Bi-annual exception


Outro bônus que uma equipe pode usufruir é a Bi-annual exception, concedida para as franquias que não tiveram que pagar a luxury tax nas duas temporadas anteriores. Os Bucks se aproveitaram dessa regra e em 2018/19 contrataram o pivô Brook Lopez por 3,38 milhões de dólares para jogar uma temporada.


Rookie exception


A Rookie exception é a exceção concedida aos calouros de cada equipe, seus salários são tabelados e os jogadores ganham a quantia mesmo que ultrapasse o teto do time.


Larry Bird exception


Larry Bird exception permite que os times estourem o teto salarial com isenção de multas para renovar com jogadores que estão há, no mínimo, três anos na franquia. Atrelada a ela, existe também o Bird rights que permite o jogador assinar um contrato de 5 anos, enquanto que os demais podem negociar uma duração máxima de 4 temporadas.


Além das duas, também existe a Early Bird exception que tem a lógica semelhante a Bird rights mas voltada para jogadores que estão há duas temporadas, através delas os jogadores podem assinar contratos com duração de 2-4 temporadas com um valor máximo de 180% de seu salário anterior ou ao salário médio da liga (prevalece o maior valor).


Minimum Salary exception


Temos também a Minimum Salary exception que é basicamente o salário mínimo para os jogadores, seu valor varia de acordo com a experiência de cada atleta. O valor em 2018/19 para um jogador com, no mínimo, 10 anos de experiência foi de 2,3 milhões de dólares por temporada.


Max Salary e Supermax contract


Existem também as regras para os salários máximos, que usa uma lógica similar a anterior, quanto mais experiência o jogador tem, mais ele pode ganhar, veja a tabela abaixo referente a temporada 2019/20:

Fonte: CBA (Collective Bargaining Agreement)


Para ir mais além do contrato de salário máximo, é possível um jogador assinar o supermax contract (contrato super máximo) que seus valores são ainda maiores do que o “simples” salário máximo.


Para poder assinar esse tipo de contrato, o jogador deve se enquadrar em dois critérios: precisa estar iniciando sua oitava temporada e fazer parte de uma das três seleções da temporada (All-NBA first, second ou third team) além de ter sido MVP ou jogador defensivo da temporada (na sua última temporada). Outra exceção é fazer parte de uma das três seleções da temporada ou ter sido o melhor jogador de defesa em duas de suas últimas três temporadas ou MVP e uma de suas últimas três.


Luxury tax


A famosa luxury tax é nada mais do que uma taxa que a franquia paga para a liga de acordo com o valor excedido do teto. A taxa é determinada por uma tabela, que também foi estabelecida entre a NBA e a CBA, segue anexa:

Fonte: CBA (Collective Bargaining Agreement)


Vale ressaltar que os times também devem respeitar um piso mínimo, que equivale a 90% do teto. Se uma equipe não atingir essa porcentagem, o restante do valor deve ser distribuído entre os jogadores do elenco.


Essas são as principais regras que compõe o teto salarial das equipes, qualquer dúvida deixe nos comentários.


70 visualizações