COMO O DAZN ESTÁ MUDANDO O NEGÓCIO DOS ESPORTES

O PRIMEIRO SERVIÇO DE STREAMING VOLTADO PARA ESPORTES VEIO PARA MUDAR AS REGRAS DO JOGO, FORÇANDO GRANDES NOMES A SE ADAPTAREM À NOVA REALIDADE.


O DAZN foi o primeiro serviço de streaming global dedicado totalmente aos esportes. A empresa britânica entrou com tudo no mercado, arrebatando direitos de transmissão importantes em grandes mercados.


Mas até onde vai o DAZN? Será que ele pode impactar gigantes dos setor?


Modelo de negócios


O DAZN tem um modelo de negócios muito parecido com os grandes serviços de streaming de vídeo, tais como Netflix, Amazon Prime, Hulu, Disney +, etc. Basicamente, esse tipo de negócio adquire os direitos de distribuição de alguma atração para algum país, um filme por exemplo, e disponibiliza ao público, cobrando por uma assinatura.


O pioneirismo do DAZN foi ter sido o primeiro serviço de streaming dedicado exclusivamente aos esportes, concorrendo diretamente com os canais esportivos da tv paga, como a ESPN. Em suma, o DAZN compra os direitos de transmissão de algum campeonato, e transmite o jogo para seus assinantes.


A grande vantagem que o DAZN tem sobre seus concorrentes da tv são os custos fixos bem reduzidos, já que não tem que manter programação 24 horas. Assim, os custos seriam apenas os de comprar os direitos de transmissão e de fazer a transmissão em si. Ou seja, nada mais que um escritório e algumas cabines de transmissão são necessárias. Reduzindo muito os custos trabalhistas e de produção (grandes estúdios, por exemplos).


Além disso, o DAZN também tem grande vantagem sobre seus concorrentes do streaming. Isso porque o serviço consegue auferir receitas através de publicidade, já que os eventos esportivos tem intervalos e pode haver propaganda durante o jogo. A Netflix, por exemplo, não tem essa vantagem, pelo menos por enquanto.


Desse modo, vemos que o DAZN encontrou um modelo de negócios bastante interessante, que consegue obter as grandes vantagens da tv tradicional e dos serviços de streaming ao mesmo tempo.


Expansão acelerada


Com esse modelo de negócios interessante, somado ao imenso investimento, o DAZN tem aumentado muito sua base de assinantes. A expansão é marcada por uma estratégia arriscada, que praticamente obriga os clientes a assinarem o serviço.


A estratégia consiste na compra da exclusividade dos direitos de transmissão de alguns campeonatos. Assim, o único jeito de assistir a competição seria assinando o plano disponibilizado pela empresa britânica..


Por exemplo, o DAZN comprou os direitos da Champions League em alguns países da Europa, incluindo a Alemanha. Desse modo, caso um torcedor do Bayern queira assistir seu time na Champions, ele necessariamente tem de pagar o DAZN.


Quando você expande essa estratégia em vários esportes e em várias competições, a base de assinantes tende a aumentar, gerando mais receita.


Outro bom exemplo é a grande investida da plataforma no boxe. O DAZN assinou contrato com o popular pugilista britânico Anthony Joshua, e um mega contrato de 330 milhões de dólares por 11 lutas com o mexicano Saul “Canelo” Alvarez, o boxeador mais bem pago no ano passado.


Tradicionalmente, o boxe é transmitido na tv por meio de pay-per-view. Os direitos são vendidos luta a luta, e quem compra disponibiliza ao público por evento, geralmente cobrando preços salgados. Por exemplo, a aguardada luta entre Floyd Mayweather Jr. e Conor McGregor saía 89 dólares para o espectador norte americano.


O DAZN, no entanto, não irá cobrar mais para seus espectadores assistirem as lutas de Joshua e Canelo. Basta ser assinante regular do serviço, não havendo nenhuma cobrança adicional.


Em dias de grandes lutas o DAZN com certeza irá aumentar muito o número de seus assinantes, especialmente no México, no Reino Unido e nos Estados Unidos. Considerando que muitos irão ficar na plataforma após a luta, além das receitas de publicidade, com certeza o DAZN sai ganhando.


Respostas da concorrência


Os concorrentes com certeza não irão ficar de braços cruzados olhando o DAZN crescer exponencialmente. Inclusive, a ESPN, maior player do mercado internacional, já está contra atacando.


A rede americana, filial do conglomerado Disney, lançou o serviço ESPN +, totalmente no formato de streaming. O serviço se assemelha bastante ao DAZN, sendo que a ESPN irá colocar alguns direitos de transmissão exclusivamente nessa plataforma.


De maneira bem similar ao que o DAZN fez no boxe com Canelo e Joshua, a ESPN + conseguiu um grande acordo com o UFC nos EUA. Basicamente, o UFC não irá mais comercializar pay-per-view sozinho, mas somente através do streaming da ESPN.


Caso o espectador queira ver o UFC, ele deverá assinar a ESPN + e então pagar uma taxa de pay-per-view, mas que será bem mais baixa do que o normal. Além disso, alguns eventos de menor porte serão exclusivos na plataforma, assim como o card preliminar dos eventos em pay-per-view.


Desse modo, a ESPN + irá tentar conseguir assinantes através do UFC, em uma estratégia claramente voltada ao combate do DAZN. Outros conteúdos também estarão incluídos na plataforma, em especial eventos ao vivo.


Ainda é muito cedo para entender até onde o DAZN pode chegar. Mas de qualquer jeito, já sabemos que veio para ficar e para mudar as regras do jogo.


55 visualizações